Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Ontem acabei de ler As Intermitências da Morte de Saramago. É um livro pequenito que se lê bastante bem. A história começa numa passagem de ano em que, a partir da meia-noite, as pessoas deixam de morrer. Algumas ficam naquele limbo entre não melhorarem nem morrerem. Depois conhecemos a morte, e não a Morte, a própria insiste que o seu nome é morte, com minúscula. Gostei muito do livro, tem aquele encanto que só Saramago consegue ter. Gosto particularmente de quando a morte escreve para um jornal  e um gramático critica a carta da morte pela

 

"ausência de pontos finais, do não uso de parêntesis absolutamente necessários, da eliminação obsessiva de parágrafos, da virgulação aos saltinhos e, pecado sem perdão, da intencional e quase diabólica abolição da letra maiúscula (...) uma vergonha, uma provocação (...)"

 

Claramente uma piada com as críticas que tantas vezes apontam a Saramago. Saramago é sem dúvida uma daquelas pessoas que entra no lote das 5 pessoas que convidava para jantar (aquele jogo, sabem?).

 

Fiquei apenas um pouco desiludida porque normalmente quando leio Saramago retiro sempre 3 ou 4 frases marcantes para um caderninho de citações, desta vez não houve nenhuma que me tocasse particularmente. Contudo, recomendo este livro, é uma história diferente. Daria 4* em 5.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:08



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D