Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


No meu útero mando eu

por Miss F, em 10.11.15

Eu acho que já falei disto por aqui, mas esta semana tive uma discussão (saudável) com um colega e, mais uma vez, confirmo que as pessoas têm dois problemas fundamentais. O primeiro é que não respeitam que as pessoas pensem de forma diferente, nem é discordar, sou da opinião que concordar em discordar é muitas vezes o melhor entendimento, é simplesmente recusar que uma pessoa possa ter uma opinião diferente sobre um assunto. O outro problema, que acaba por derivar deste, é não entenderem que as mulheres não são todas iguais nem pensam todas da mesma forma.

 

A questão era casar e ter filhos. Eu disse que não queria casar nem ter filhos. Como já devem ter percebido tenho uma relação duradoura com a pessoa com quem quero construir uma vida. Mas essa vida não tem de incluir casar e ter filhos. A minha opinião sobre o casamento é muito controversa (pelo menos no meu círculo de amigos), eu acho que quanto maior e mais exuberante é a festa, menor é a duração do casamento; gasta-se um dinheirão, por mais low-cost que seja, que dava perfeitamente para fazer uma ou duas viagens; e, por fim, os noivos têm mais preocupações do que proveito. Quanto a filhos remeto-vos para aqui e ficam logo a par da situação. Face a esta minha opinião a conversa desenrolou-se mais ou menos assim:

 

Colega - Mas não podes pensar assim!

Eu - Ai não? Qual é a lei que diz que não posso?

Colega - Oh as pessoas mudam de opinião. Há quanto tempo tens essa opinião?

Eu - Desde que me lembro que sempre disse que não queria casar nem ter filhos, devia ter uns sete anos quando comecei a dizer isto pela primeira vez.

Colega - Ah mas ainda mudas de opinião.

Eu - Repara, desde pequena que sempre ouvi que quando tivesse um namorado a sério ia mudar de opinião. Tenho um namorado a sério, há muito tempo, e continuo a ter a mesma opinião.

 

Eu já perdi a conta à quantidade de pessoas que tentaram fazer-me mudar de opinião (e não conseguiram). Sempre que estas conversas surgem eu até evito dizer logo o que acho, mas esse momento chega sempre. O mais engraçado é que são maioritariamente os homens que se insurgem contra esta minha forma de pensar, as mulheres entendem que somos todas diferentes. E, naturalmente, perguntam sempre o que o moço acha, porque de certeza que ele quer ter filhos. A minha resposta é sempre a mesma - acham que numa relação de sete anos nunca falamos sobre isto? Nem chegamos a um entendimento? E, em tom de brincadeira, digo sempre que se ele quer ter filhos, arranje outro útero, este é meu e eu é que mando nele.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:33


12 comentários

Imagem de perfil

De nervosomiudinho.blogs.sapo.pt a 12.11.2015 às 16:47

as pessoas lidam muito mal com isso. Querem que toda a gente tenha filhos e segundo o calendário delas. Que isto não é só ter filhos é quando o resto das pessoas querem. Também já quase me chateei, desta feita com uma amiga. Levou muito a mal que EU achasse que devia poupar primeiro porque tinha investido primeiro em viagens e em formação. Loucura, eu viver a MINHA vida como acho melhor, não?
Imagem de perfil

De Miss F a 12.11.2015 às 17:11

Os outros estão sempre prontos a dar opiniões sobre como devemos viver a nossa vida. Esquecem-se é disso mesmo, que ela é nossa. Vá lá, no meu caso nunca me apontaram quando devia ter, mas já ouvi muitas histórias dessas. Não chega tomar a decisão ainda têm de decidir o timing, raisparta esta gente!

Contudo, se nós é que somos as loucas, deixem-me ser louca por muito tempo
Imagem de perfil

De nervosomiudinho.blogs.sapo.pt a 13.11.2015 às 11:59

Somos loucas juntas ;)
Imagem de perfil

De Girl About Town a 12.11.2015 às 18:59

Eu por acaso é o contrario, tenho quase 26 anos namoro há quase quatro e se tivesse uma vida estável acho que teria filhos o mais brevemente possível.
Tenho muita vontade de ser mãe e quase toda a gente que me conhece e ouve a dizer isto diz que estou maluca que sou muito nova e por ai..
Somos todos diferentes, todos queremos coisas diferentes para nos e para a nossa vida e ninguém tem nada com isso, mesmo discordando uns dos outros temos que saber respeitar as escolhas dos outros.
O que importa é sermos felizes.
Imagem de perfil

De Miss F a 16.11.2015 às 17:14

Concordo inteiramente, o que importa é sermos felizes! Mas parece que alguns são mais felizes a decidir a vida dos outros do que a própria vida, o que é de lamentar!
Imagem de perfil

De Olavo Rodrigues a 12.11.2015 às 19:20

Mais nada!
Imagem de perfil

De The Daily Miacis a 12.11.2015 às 20:40

Ahahahah como eu entendo perfeitamente! Eu é exa-ta-men-te o mesmo! E depois o meu grupo de amigos anda sempre tudo a mandar boquinhas quando é alguma sobre filhos ou sem ter filhos, acabo sempre por ser eu a levar a boquinha "ah mas tu não tens que te preocupar que não vais ter filhos", isto com ar de gozo como se eu tivesse acabado de dizer que ia ser o premio Nobel. Não entendo qual é o problema em entenderem que eu não quero filhos. Nâo quer dizer que sou contra ter filhos, não quer dizer que não gosto de crianças. Eu gosto de crianças, simplesmente gostar de crianças e ter uma são coisas completamente diferentes. Eu sei que não serei um bom exemplo nem tenho estofo para ser mãe em vários aspetos, e embora sei que podia ser uma mãe fora do vulgar não faz parte dos meus planos nem eu quero me forçar a tal coisa quando eu sei que não serei uma boa dona de casa aka mãe. E não me venham com a treta " ah dizes isso mas depois de ter filhos a coisa muda". Muda nada e isso dá se no 12º em psicologia que tem toda a gente tem instinto materno e isso não se ensina nem se aprende em lado nenhum. Até na mãe natureza existem maus progenitores. Mas isto tudo para dizer que entendo perfeitamente, o que é. Querem ter filhos têm o meu apoio, mas então também peço que me apoiem na minha decisão de não ter filhos, é o que penso.
Imagem de perfil

De Miss F a 16.11.2015 às 17:31

Eu às vezes (como tu) começo a debitar as várias razões pelas quais não quero ser mãe mas depois penso, o não querermos não é suficiente? Quem não quer comer merda não come, tem mesmo de apresentar razões que justifiquem o não querer? Quantas vezes já disse 'depois de comeres merda a primeira vez até podes gostar...' Afinal, a lógica deles é a mesma (lógica de merda no fundo)
Imagem de perfil

De Anti-Social a 12.11.2015 às 21:47

Há tempos escrevi sobre o mesmo tema - ter filhos (aqui: http://antiblogue.blogs.sapo.pt/a-maternidade-e-obrigatoria-18160).
Quanto ao casamento, também nunca quis casar, mas agora vejo que existe uma vantagem: os dias de licença! E só isso! Ahahah!
Imagem de perfil

De Miss F a 16.11.2015 às 17:32

Ahahahah tal e qual! Mas isso vamos só até ao Registo Civil, assinamos tudo e voilá, 15 dias de férias
Imagem de perfil

De Sofia a 13.11.2015 às 11:19

Isso é como a conversa do quando é que casas?![:<]
Tenho 35 anos e não quero casar, os 2 casamentos do meu pai já me tiraram essa ilusão há muitos anos, quem quer força nisso!
Agora tenho a certeza que quero ser mãe há muito tempo, infelizmente perdi 5 anos da minha vida com uma pessoa que não queria trabalhar nem fazer nada da vida dele, bem ano novo vida nova!

Cada um sabe de si e ninguém tem nada a ver com as opções de vida das outras pessoas!

Se não queres ter filhos e se sempre foste honesta com o teu namorado, ele concorda e são felizes assim, os outros que vão dar uma voltinha ao bilhar grande...
Imagem de perfil

De Miss F a 16.11.2015 às 17:36

Vão ao bilhar grande, bilhar pequeno, onde quiserem! Mas não me venham chatear mais com isto!!!

Estamos sempre a tempo de mudar, principalmente se for para melhor

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D