Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

After Dark, Haruki Murakami

por Miss F, em 03.11.14

After Dark não é uma história directa, não tem, como nos ensinam na escola 'princípio, meio e fim'. É um livro que enquanto se vai lendo não conseguimos perceber ao certo onde nos vai levar, andamos continuamente à procura de qual é a história que nos quer contar e chegamos ao fim sem grandes explicações. Não é difícil de ler, a escrita é muito fluida e simples, mas ganha complexidade sem querer ser complexa, torna-se difícil entender, mesmo sendo fácil de ler. E para mim esta é a magia de Murakami. Nada faz exactamente sentido, mas de uma forma estranha tudo acaba por fazer sentido. Não tem uma história concreta, mas tem muitas histórias que nos fazem pensar. 

 

É uma história que passa por nós, umas quantas personagens que se assemelham a conhecidos por quem passamos na rua, com quem trocamos algumas histórias mas depois cada um segue a sua vida. E da mesma forma que essas experiências enriquecem a nossa vida, também este livro nos enriquece.

 

Se tivesse que o explicar a alguém em poucas palavras diria que mostra como tudo muda à noite (everything changes after dark). 

 

O primeiro livro que se lê de Murakami é sempre difícil, não entendemos bem o que se está a passar, mas depois quando entramos no estilo tudo nos faz sentido, são livros que nos fazem olhar de forma diferente para o mundo. Em vez de ser a história que nos transporta para outro mundo, somos nós quem transporta a história para o nosso mundo, fazendo com que o mundo se torne mais sem sentido e ao mesmo tempo faz com que queiramos entender mais profundamento o mundo vivemos.

 

Para finalizar diria que há bons livros que nos marcam por uma ou outra razão, os livros de Murakami são mais que isso, são formas diferentes de ver o nosso mundo, que se torna mais claro e ao mesmo tempo mais distante.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:06

Orgulho e Preconceito, Jane Austen

por Miss F, em 09.10.14

Este ano tenho-me dedicado a livros que têm andado perdidos na minha lista 'too read' e que por uma ou outra razão nunca chego a ler. Desta vez foi o Orgulho e Preconceito (Pride and Prejudice, no original), de Jane Austen. Já li alguns livros da Jane Austen e são um tanto ou quanto semelhantes, este achei mais dinâmico, não tão pesadão como o Mansfield Park, por exemplo. Já tinha visto o filme (com a Keira Knightley) e gostei muito na altura, mas já não estava bem recordada da história, por isso acabou por ser uma agradável surpresa.

 

Gosto muito da personagem principal, Elizabeth Bennet, uma mulher muito diferente e muito à frente para o seu tempo. É determinada e não tem medo de dizer aquilo que lhe vai na alma (bastante diferente da Fanny de Mansfield Park, o que também me fez gostar mais deste livro). Quanto ao Mr. Darcy é uma personagem muito difícil, não diria que seja 'hate it or love it', mas talvez seja melhor descrita como 'it grows on you', com o tempo vamos aprendendo a gostar dele, embora de início seja difícil. Gosto muito da irmã mais velha, a Jane (no filme é interpretada pela Rosamund Pike, que já vos falei no post sobre o Gone Girl), muito sensível e de bom coração, é gentil sem ser picuinhas. Não suporto as personagens Mrs. Bennet e Mr. Collins, têm uma capacidade tremenda de me fazer saltar a tampa!!

 

Tenho uma mania com os livros da Jane Austen que é bastante idiota, mas só consigo ler Jane Austen quando está mau tempo. Para mim Jane Austen combina com chuva, com mantas and a nice cup of tea.. Se calhar está relacionado com um british mindset, muito presente na narrativa da autora, mas comecei a ler o Sense and Sensibility no Verão e nunca consegui acabá-lo. Fica talvez para Janeiro!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:32

A Catedral do Mar, Ildefonso Falcones

por Miss F, em 02.10.14

Andava para ler este livro já há algum tempo por recomendação de um amigo e finalmente foi desta! Gostei muito da escrita, nunca tinha lido nada deste autor e fiquei com curiosidade para ler mais!

 

Relativamente à história é construída em torno de factos reais da Barcelona do séc. XIV - relações comerciais, Inquisição, batalhas, peste negra -, o que para mim é muito interessante uma vez que permite aprendermos alguma coisa enquanto desfrutamos de um romance. O livro é bastante grande o que faz com que a leitura se torne mais demorada, mas é tão bom que não damos pelo tempo passar e por outro lado temos mais tempo para nos afeiçoarmos às personagens. Nunca vos aconteceu lerem um livro tão rápido que sentem que nem chegaram a conhecer as personagens?? Achei isso com o The Fault in Our Stars (John Green), passou demasiado rápido. Normalmente não gosto de ler o mesmo livro durante muito tempo, não imponho timings mas se a história for pouco cativante acabo por começar a ler outros livros em simultâneo, neste caso li em cerca de 2 - 3 semanas, durante a primeira semana estava a ler outros, mas acabei por colocar esses de lado e dar primazia a este. É um romance triste, com muitas situações desagradáveis pelo meio mas acaba por ser um retrato daquilo que é a vida, nem sempre tudo corre pelo melhor mas devemos manter-nos fiéis às nossas convicções.

 

Sobre as personagens principais:

Arnau Estanyol, personagem principal. Um homem que, apesar de alguns erros que vai cometendo, tem um carácter bondoso e por vezes parece que deixa a sua própria felicidade para segundo plano ao concordar com determinadas situações.

Aledis, vítima de um pai horroroso, tinha tudo para ser feliz mas acabou por ter uma vida bastante dura. Mostra que nem sempre aquilo com que nascemos determina o que vamos ser, muita coisa pode ficar fora do nosso alcance. Acaba também por ser vítima da forma como as mulheres eram tratadas nesta altura, muitas vezes (ou quase sempre) sem hipótese de escolha.

Mar, das personagens que mais gostei. Tem a infelicidade de se colocar no caminho de uma mulher odiosa que condiciona em muito a sua vida. (É difícil falar desta personagem sem fazer spoilers).

Joan, inicialmente um personagem muito querida acaba por vir a personificar muito daquilo que encontro de errado na religião (e principalmente na Igreja).

 

 

Recomendo este livro a quem aprecie um bom livro, com muitas referências históricas. Deixo-vos o link da Bertrand onde podem ler a sinopse, normalmente encontram-no disponível como livro de bolso, nunca vi em tamanho 'normal' à venda!

http://www.bertrand.pt/ficha/a-catedral-do-mar?id=186430

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:10


Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D