Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Estava aqui a pensar...

por Miss F, em 09.11.15

Se as greves e manifestações são apoiadas quase sempre (não digo sempre porque não me apetece ir procurar dados estatísticos, mas desde que me lembro que assim é) pelo PCP, se sempre tivermos um Governo de Esquerda será que é desta que estas coisas acabam? Ou o PCP vai manifestar-se contra si próprio? Falo por mim, dava jeito as greves nos transportes acabarem.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:31

Esquerdices agudas

por Miss F, em 14.10.15

Eu queria evitar escrever muito sobre política, é uma área que gosto mas que me abstenho de comentar com pessoas fora do meu círculo de amigos porque é daquelas coisas que pode azedar qualquer conversa. 

 

Mas, recuperando uma notícia do Expresso do dia 14 de Setembro (faz hoje um mês), como é que uma pessoa que disse:

 

Eu fui sempre um moderado, fui sempre um social-democrata, nunca tive aquelas tentações esquerdistas"

 

E uma pessoa que acusou o outro de ter:

 

(...) a mesma lógica da direita”

 

Agora são todos muito amiguinhos e de uma "esquerda unida"? Faz-me espécie, confesso. 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:23

Aqui também se fala disto

por Miss F, em 12.09.15

Acho que poucos conseguiram escapar ao debate entre os dois principais candidatos a Primeiro-Ministro. Vi atentamente, tinha alguma expectativa, mas fiquei desiludida. Pouco ou nada se falou de medidas a sério, de ideias concretas - andou tudo à volta do diz que fez e diz que disse. Se me perguntarem em quem vou votar não vos sei dizer. Acho que o António Costa teve um melhor desempenho (apesar de algumas meias-verdades), acho que o Passos Coelho tinha mais argumentos para os ataques do Costa que, por alguma razão, não conseguiu usar e esteve sempre mais à defesa. Mas foi tal o vazio de ideias que neste momento não votava em nenhum.

 

Recorri a uma ferramenta muito engraçada, o Bússula Eleitoral, que nos ajuda a descobrir o nosso posicionamento face aos partidos que existem. Agora vejam o problema com que me deparo:

 

2015-09-10 21.56.44.jpg

 

Fiz também, há algum tempo, um outro teste mais genérico (sem partidos à mistura) e o meu resultado foi este:

 

SC20150715-001825 (2).png

 

Resta-me talvez criar um partido, certamente haverá mais pessoas que sentem este vazio político. Para desmistificar - em questões económicas e de segurança sou mais de direita, acho que o crescimento económico e a criação de emprego se baseiam no crescimento das empresas, acho que se devem manter as Forças Armadas a funcionar e bem armadas. A nível social sou completamente de esquerda, sou a favor do casamento e adopção por casais homossexuais, a favor do aborto, e considero que a educação e saúde devem ser tendencialmente gratuitas.

 

Esta minha indecisão não significa que não vá votar, prezo muito o direito ao voto e dia 4 de Outubro lá estarei nas urnas, mesmo votando nulo (porque branco acho arriscado) não deixarei de exercer o meu direito. E vocês, já decidiram?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

Eleições no Reino Unido

por Miss F, em 08.05.15

Ontem realizaram-se as eleições no Reino Unido e, admito, sendo o meu sonho viver lá gosto de acompanhar de perto estas eleições. E que noite eleitoral surpreendente que tivemos! Todas as sondagens feitas anteriormente apontavam para um empate entre Tories e Labour, as previsõe apontavam para que se Cameron quisesse formar governo iria ter de recorrer a coligações, embora não estivesse afastada a possibilidade de ser Miliband a governar. Afinal esteve tudo muito longe do empate. Pontos principais das eleições:

  • Os Tories conseguiram uma maioria, que não acontecia desde 1992, sendo os grandes vencedores da noite. Não vão precisar de uma coligação, vão governar por sua conta e risco.
  • Os nacionalistas escoceses são os outros vencedores - conseguiram 56 seats em 59. A vitória do SNP abre um problema a Cameron: este pretende avançar com o referendo sobre a continuidade de UK na União Europeia em 2017, mas a Escócia quer manter-se na UE, o que reacende a questão da independência da Escócia (recentemente referendada). Vai ser uma questão a ser tratada com pinças por parte de Cameron que tem de manter o compromisso do referendo mas mostrar que governa um Reino Unido (literalmente) e não apenas Inglaterra.
  • Os trabalhistas são os grandes derrotados, muito em parte por culpa do SNP - a Escócia é tradicionalmente um local que lhes confere bastantes lugares, mas com a subida do SNP quem perdeu mais foi Miliband, que aliás já se demitiu.
  • Quem também se demitiu foram os líderes do UKIP e Lib Dems. O UKIP conseguiu 2 seats, mas o seu líder Nigel Farage não foi eleito e optou pela demissão da liderança do partido. Já Nick Clegg dos liberais democratas sofreu uma derrota pesada, passando dos 57 seats para 8.

Uma situação engraçada que pode proporcionar um momento televisivo histórico. O antigo líder dos Lib Dems, Paddy Ashdown disse e passo a citar "If this exit poll is right, Andrew, I will publicly eat my hat on your programme." Parece que afinal estava certo. Wil he eat his hat? That remains to be seen.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:00


Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D